Cola para Lona Plástica em Tanque de Peixe

Criamos um Tutorial de Como Colar Lona Plástica para Tanque de Peixe

Grande parte da procura pela LONA PLÁSTICA DUPLA FACE PRETA E BRANCA (clique e compre aqui) no mercado brasileiro hoje tem a finalidade de utilização em tanques e açudes para piscicultura. Esse tipo específico de lona dupla face foi originalmente desenvolvido para utilização em cobertura de silagem. Todavia vem se destacando como um excelente substituto da geomembrana na criação de peixes em lagos, tanques, açudes e represas.  A lona plástica dupla face de polietileno custa 1/3 do valor da manta geossintética, além de ter mais fácil aplicação. É um material que não tem a mesma durabilidade da geomembrana, mas tem um custo x benefício melhor. Este é o tópico da vez aqui no Blog Momento Agro do Brasil e sugestão de pauta da Thati Borges.

A Lona Dupla Face de PEBD tem uma largura máxima da lona limitada pelo equipamento que a produz. Esse tipo de lona é fabricada por extrusoras tipo balão, cujo tamanho diâmetro da rosca do equipamento possibilita um filme de maior ou menor envergadura. O nome “balão” está relacionado ao balão que se forma quando o plástico é derretido e soprado pelo equipamento – flutua até grandes alturas antes de ser rebobinado. Alguns equipamentos mais robustos demandam um barracão tão alto quanto um prédio de médio porte para dar conta da altura que o balão sobe no barracão.

Fabricantes de Lonas no Brasil

As maiorias dos fabricantes desse tipo de material no Brasil são de pequeno porte. São micro empresas cuja capacidade de produção bobinas é de até 6 metros de largura – fabriquetas que possuem equipamentos mais simples com um diâmetro de rosca menor. Fabricantes intermediários produzem lonas plásticas de PEBD de até 8 metros de largura e grandes fabricantes, que no país podem ser contados nos dedos de uma mão, produzem lonas de até 12 metros de largura.

Boa parte dos tanques possuem larguras que ultrapassam essa barreira dos 12 metros. Precisam “colar” várias lonas para cobrir a área total que precisa de revestimento. Eis que surge então a pergunta:

É possível colar lona plástica de polietileno?

A resposta curta é não! Mas há um motivo para isso.

Uma cola funciona com a evaporação da água em sua composição. O líquido aquoso ao virar vapor se transforma em uma camada sólida adesiva, mas isso não funciona com o polietileno. Alguns dirão que é possível preparar a superfície para que adesivos industriais consigam aderir adequadamente nas duas camadas, e mesmo que isso funcione em algum grau, nenhuma cola fornecerá uma ligação permanente do plástico. A melhor ligação entre duas peças do mesmo material é uma ligação química, onde o adesivo derrete as superfícies de contato e elas se fundem, o que nunca acontece aqui.

A explicação química para isso é que o PE, assim como o PP, são difíceis de colar porque têm baixa tensão superficial. A grosso modo, têm pouco interesse em se agarrar em qualquer coisa, inclusive adesivos. A única maneira efetiva de ligar polietileno com polietileno é através da soldagem a quente, e isso requer equipamento adequado. Já procuramos grandes multinacionais da área de adesivos como Henkel e 3M para tentar uma solução alternativa mais simples, mas não obtivemos uma solução viável que possa ser apresentada para nossos clientes.

Única solução encontrada: Selador Plástico

A Máquina Seladora Plástica é um equipamento que faz a vulcanização do material. A junção se dá pelo aquecimento das placas que derretem os filmes sobrepostos que aderem um ao outro no processo de fusão. Existem equipamentos de diversas larguras, com pedestal ou sem pedestal, portátil ou não, mas o princípio é o mesmo. Uma dica valiosa é adquirir o equipamento com um temporizador, que irá facilitar a vida do operador evitando retirar o plástico antes que o processo de fusão esteja 100% finalizado (e consequentemente as lonas não estarão seladas) e evitando também que o material derreta além do necessário para sua fusão, comprometendo e rasgando a emenda.

Para realizar o procedimento de solda é muito simples, não é necessária nenhuma habilidade especial. Qualquer um pode fazer. Desenvolvemos um tutorial explicativo onde demonstramos como proceder a junção das lonas, conforme vídeo abaixo:

Opções Alternativas

Existem algumas opções alternativas que podem ser avaliadas. Por isso relataremos a título de curiosidade, pois temos clientes que as praticam com sucesso. A primeira delas é cavar um buraco no chão. No ponto de emenda e cimentar o buraco com as bordas das lonas enterradas. Outra possibilidade seria simplesmente sobrepor as lonas, deixando que o peso da água vede a junção entre os materiais. Quanto maior e área sobreposta entre os materiais, mais segurança em relação à evitar infiltrações.

Seja qual o método você irá adotar no seu tanque, o importante é ter clareza que: 1 – não existe cola para lonas plásticas,  2 – é possível  e fácil proceder a junção com o auxílio de uma seladora e que este é o método RECOMENDADO por nós e 3 – existem opções alternativas que podem ser avaliadas no planejamento do sistema de vedação do seu açude. Mãos a obra!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *